Como rezar para Orixá?

Como rezar para Orixá? 567 567 Renata Barcelos - Yemojagbemi Omitanmole Arike

Muita gente pergunta como fazer para rezar para os Orixás, e muitos querem saber se podemos falar em português.

Essa não é exatamente uma dúvida que algum Nigeriano terá resposta ou terá comprovado a eficácia falando em outro idioma com o Orisa. evidente porque eles já nascem falando Yoruba.

Primeiro vamos entender o problema do idioma Yoruba ? O idioma Yoruba é tonal , e uma mesma palavra falada com ênfase diferente no tom das sílabas pode significar uma outra coisa um exemplo simples : ÒGÙN -quer dizer medicina, ÒGÚN .. é o Orisa, a palavra “ogun” acentuada e falada ainda de diferentes maneiras podem significar outras coisas ainda.

Em ato litúrgico que vale da intenção do ato Orixá evidente aceita que até falemos algumas palavras com tons equivocados – assim como tb os próprios yoruba podem errar o tom, tal qual erramos palavras faladas em português. E ainda é preciso deixar o registro, assim como o português no Brasil, no idioma Yoruba existem vários sotaques regionais.

Devemos aprender o Yoruba ? Para quem gosta e pode sim acho bacana aprender. – embora alguns ritos mesmo achamos necessário falar o yoruba, o fazemos principalmente por respeito a tradição e até facilidade por estarem já em rima.

No culto tradicional yoruba, não são apenas sacerdotes que devem fazer ritos e rezar para o Orixá, todos os devotos precisam também se comunicar frequentemente com o Orixá. Mas vamos cair na realidade é um idioma complexo, e temos que tornar nossa pratica viável.

Se você vai conversar com o Orixá para um problema sério que está passando, por exemplo uma doença – é muito melhor que ele entenda perfeitamente o que você está falando não é?

Minha posição : Aprenda se puder a falar em Yoruba para rezas e alguns atos litúrgicos, mas durante a devoção diária/semanal dos Ose, principalmente para devotos se preocupe mais em se fazer entender e fale em português chame os Orixá em português, os Orixás criaram todos os humanos, logo todos os idiomas,.. se ele não nos entende.. não vejo razão para cultuamos Orixá.

As rezas para Orixá tem um sistema – você começa a chama-lo por seus feitos exemplo : Yemoja você que é a mais velha das aguas, você que tem as costas fortes para carregar Sango, — Ogun o senhor da terra, de todos os caminhos, Sango aquele que não aceita os mentirosos, etc e após invocação falamos de nós.. ahh Yemoja me ajuda a conseguir emprego, yemoja ou outro orisa .. me proteja, me de vida longa, me de filhos, bom marido etc agradeça a ela por tudo ..

Tradicionalmente as rezas são feitas no local de culto deste Orixá, em seu ojubo, igba ” assentamento ” ou tb em lugares de suas forças tal como rios, arvores, mata, encruzilhadas, florestas etc – um Orixá pode de certa forma ser invocado em qualquer local, uma dinâmica que se usa é conferir através de oráculos, como Obi, Orogbo se o Orixás está lhe ouvindo e se atenderá os pedidos – neste cenário acontece tb de surgir coisas a serem feitas – para isso ai é realmente preciso aprender como se faz.

Minha opinião 2 – è realmente necessário avaliar que temos aqui no Brasil uma outra dinâmica posta, e por mais que eu siga a tradição do culto – não podemos limitar as pessoas. Os Orixás precisam ser viável a todos que queriam cultuar e não criar barreiras que afastem pessoas.

Em todas as religiões do mundo existem pessoas que seguiram com diferentes profundidades, precisamos aceitar o Ori do outro e a necessidade que ele tenha.

Há o errado – e há o aceitável – e é muito aceitável que você reze para seu Orixá no seu idioma natal, assim como uma consulta oracular precisa ser feita em português ou o consulente não entenderia muitas vezes.

Neste ponto digo prefiro milhões cultuando Orixá sem falar Yoruba, que indo para outra religião. Prefiro que rezem em português, em japonês em árabe, que rezem em espanhol , e se não sabe consultar obi ou orogbo, prefiro que mesmo assim rezem para Orixá invoque e chame .. fiquem com os Orixás.

Para aprender a cultuar de forma tradicional yoruba, assim como qualquer religião no mundo é preciso estar ao lado do sacerdote/sacerdotisa para que possa aprender adequadamente.

Beijos, Renata Barcelos – Yemojagbemi Arike

Conteúdo protegido