Yemoja em Aiyede – Ekiti

Yemoja em Aiyede – Ekiti

Yemoja em Aiyede – Ekiti 600 400 Renata Barcelos - Yemojagbemi Omitanmole Arike

Yemoja é cultuada em muitas partes de area yoruba, e é interessante estudarmos a dissipação dos cultos de Orisa, e como cada Orisa passou de uma região para a outra, muitas vezes faltam dados e registros sobre esse movimento migratório, mas algumas vezes os relatos são precisos, e se encontra precisamente o registro inicial da migraação, vinda de um culto familiar


Andrew Apter em Oduduwa’s Chain Locations of Culture in the Yoruba-Atlantic, relatou que Aiyede Ekiti foi fundada em 1825, por Esubiyi ( Um sacerdote de Esu ) que residia em uma vila próxima chamada Iye, “Ata” ficou sendo designada o nome da coroa dos reis daquela cidade desde então ( “Ata” esta assim como Ooni está para Ifé, ou como Alaafin está para a nome da coroa de Oyo), o autor descreve que que o poder de  Esubiyi na cidade se deu de forma militar e pela habilidade de promover os cultos de Orisa naquele local. 

Ele trouxe Yemoja de Ibadan através de ( tem até um nome) – Oluyele, alguns relataram que Esubiyi casou-se com uma sacerdotisa de Yemoja e que começou a promover o festival na cidade, e diz ali que foi durante um festival de Yemoja em Aiyede que Esubiyi, o fundador, se alto proclamou rei o guardião da coroa “Ata Olokun” – Olokun( significa aqui contas – missangas e não Orisa Olokun) – diz então que a coroa Ata Olokun ( A coroa de contas do Rei – Ata”) fica guardada no santuário de Yemoja na cidade chamada de ( Ipara Yemoja) , cujo culto pertencia a linhagem do rei Idomogun pois buscava ali também o àse de Yemoja, e que em um primeiro momento gerou conflito entre reinados mas que depois de um tempo passaram a se apoiar. Nesta união de força a sacerdotisa principal do culto de Yemoja, passou a ser chamada de YeyeOlokun, mais uma vez se referindo aquela que agora cuida da coroa de conta, a Mãe das contas, ela passou a cordenar muitos cultos a outros Orisa da cidade além de Yemoja, Sango, Oko, Exu, Osun, Erinle, Ogun e também Orisa Olokun .

Para entendermos a estrutura social uma mesma cidade yoruba pode ter vários vilarejos, hoje distritos. Estes distritos podem ter reis diferentes, isso não é regra, não é que toda cidade hoje que tem distritos com reis distintos, mas em algumas cidades isso acontece, como em varias cidades de Lagos ou até mesmo na cidade de Abeokuta.

Há também relatos que o povo de Isan próximo entrou em conflito com o povoado de Aiyede quando Esybiyi fundava o reinado , e trazer todos os cultos de Orisa para cidade Aiyede foi a maneira politica de estabelecer a paz como acordos diplomáticos entre locais. ” Se eu celebro os seus eu sou bem – vindo” . Outro relato diz que Esubiyi buscou apoio de Ibadan , porque estava em plena expansão e por isso trouxe o culto de Yemoja, já que um dos sacerdote era bastante influente politicamente como outros Reis na época assim se legitimaria sem qualquer problema..

O simbolismo do Festival de Yemoja em Aiyede, com a cabaça – o igba Yemoja, que é carregada pela a Yeyeolokun( mãe das contas) do templo para o palácio do rei que visa ‘empoderar o rei e revitalizar o seu poder politico, e sua coroa carregada junto faz o significado de ser trazida do orun para o aye.. das sacerdotisas de Yemoja de dentro do santuário para o rei. Em rituais sem uso da coroa a cabaça de Yemoja cumpre o papel ritual da própria coroa, os ritos que envolvem as Coroas Reais são secretos. O ritual ligado a coleta da agua do rio nesta cidade se chama ijo iponmi . Em uma parte do ritual, a cabaça que contem inúmeros artigos, yemoja carrega pega na mão, o símbolo alto da realeza se porta ela como o próprio ” rei”, e diz ao rei local com sua boca: eji aran ateji oye gbee, – Algo como Eu sou mais poderosa i! – Ma Jelewi – traduziram como: não coma o homem por de trás das roupas vários outros rituais são realizados para que traga abundancia e comunidade e ao rei. Também foi reportado o uso do Abebe, típico da realeza, que é usada pelas devotas para esfriar as coisas, acalmar os ânimos, para que não venha perigos.


Nestas 2 images do festival de Yemoja em Aiyede Ekiti , pode-se ver com um pássaro na ponta, em azul a Coroa do Rei – Ade

Hoje o principal templo de Yemoja fica adjacente ao Palácio do Ata (rei) de Ayede, as sacerdotisas de Yemoja vão ao pátio do rei e fazem a celebração também com muita agua capturada do rio., a cidade passou por vários conflitos desde a morte do 7 Atta.

Yemoja é a deidade ligada ao Rio local e é venerada junto com outras deidades da agua, dizem que durante o festival uma pessoa da comunidade é escolhida por yemoja, e tem a possessão da Orisa, os devotos são guiados pela Orisa a fazer os ritos no rio.

Os rituais na cidade duram 21 dias com outros Orisa e no total 42 dentro do santuário de Yemoja.

O culto original do povoado é do Orisa Ojuna, que dizem estar lá antes da chegada de Esubiyi se quiser saber mais sobre outros eventos da cidade de Ayede e sobre os outros Orisa cultuados ali  http://orisabrasil.com.br/Loja/ayede-ekiti-orisa-ojuna-yeyelori/

Oba Abdul-Mumini Adebayo Orisagbemi o atual rei de Aayede disse em entrevista para jornal Vanguard : Esubiyi, o era meu avô. Ele era nascido em Iye Mero um vilarejo em Ekiti , mas morou em Ibadan e foi enviado de Ibadan para estacionar suas tropas no local que hoje é conhecido como Aiyede, a fim de impedir que os guerreiros fulani de Ilorin entrassem em Yorubaland através de Ekiti .

” Esubiyi não era de nenhuma família real. Ele se tornou um rei em virtude de seus poderes quase extraordinários como um grande guerreiro, que faria alguém chamá-lo de Ajagungbade (alcançar a realeza através da vitória na guerra). Título real E quando ele queria começar sua própria comunidade, decidiu conquistar o título real de seu amigo, o Attah de Igala, que consentiu com prazer. Foi assim que Attah se tornou o título de governante de Aiyede Ekiti até hoje. Esubiyi apenas adicionou Olu Odo ao seu próprio Attah para distingui-lo do de Igala. O nosso, portanto, é Attah Olu Odo, de Aiyede Ekiti. Depois de alguns momentos, naquela época Akure e Ijesha ainda eram Ekiti e a onda de suas vitórias de guerra foi tão intensa que o Deji de Akure e o restante Obas disseram: “Olha, esse homem está tramando algo. Vamos chamá-lo para estar conosco no conselho de Obas. Isso veio como resultado do medo de que Esubiyi, com a maneira como ele era tão poderoso e travando guerras invicto por qualquer pessoa, pudesse invadir seus reinos um dia e, portanto, acabar com suas próprias regras. Nós, como eu disse, nunca pertencemos a nenhuma família real. Tornamo-nos Oba e governante supremo pelas nossas notáveis ​​vitórias em todas as guerras. Tudo que meu bisavô adquiriu foi ‘Agbaragbemi’, significando que ser uma pessoa poderosa valeu a pena. Então eles fizeram dele um dos membros mais altos da hierarquia de Obaship e foi assim que Attah de Aiyede Ekiti se tornou um governante primordial até hoje. Eu sou o oitavo Attah de Aiyede Ekiti, uma comunidade formada em 1845 e, para esse tipo de Oba, ser um governante supremo dentro de um curto período de tempo, significava que ele era muito poderoso. É assim que se chama … poder e as pessoas o temiam porque sabiam que ele poderia acordar um dia e dizer que queria lutar contra o Ekiti inteiro. E como não queriam que isso acontecesse, rapidamente pensaram no futuro e fizeram dele um governante primordial. “( Attah of Aiyede Kingdom, in Ekiti State, Oba Abdul-Mumini Adebayo Orisagbemi)

Aiyede é uma comunidade formada por mais de 142 comunidades

Palácio do Atta Aiyade Ekiti –

Oba Joseph Adeleye Orisagbemi. Nasceu em Aiyede Ekiti, Ekiti State of Nigeria em 7 Agosto de 1932 filho de Oba Gabriel e Madam Alice Ajayi Orisagbemi. Ascendeu ao trono em 1994. He faleceu em2010 aos 77 anos. 
Attah of Aiyede Kingdom, in Ekiti State, Oba Abdul-Mumini Adebayo Orisagbemi
Attah of Aiyede Kingdom, in Ekiti State, Oba Abdul-Mumini Adebayo Orisagbemi

Conteúdo protegido