Yemojaismo – Iemanjaismo

Yemojaismo – Iemanjaismo

Yemojaismo – Iemanjaismo 320 214 Renata Barcelos - Yemojagbemi Omitanmole Arike

Dos registros que percorri, por primeira vez essas palavras foram usadas no Brasil em 1964, no jornal O Cruzeiro por José Belem, anos mais tarde em 1970 a revista manchete volta novamente usar o termo.

Sem dúvidas Yemoja foi e é a Orisa mais noticiada dos últimos tempos, as festa populares em torno de Yemoja, ganharam tamanho público que a imprensa não pode ignorar.

Os termos iemojaismo e iemojasitas, foram usados para retratar que:até pessoas que não pertenciam ao culto aos Orisa de nenhuma vertente, haviam então se encantado por yemoja, e que mesmo sendo de outras religiões, , prestavam homenagens a Yemoja ou seja foram então chamadas de iemojaistas.

A imprensa da época ( 1940 -1990 que encontrei jornais falando de Yemoja mais de 300 páginas agora guardadas comigo) – tentavam por vezes entender quem era yemoja e o que estaria levando as pessoas a cultuar apenas essa Orisa .Existia por parte dos praticantes afro-religiosos, uma preocupação com a liturgia, com os conceitos, com o ritos x o crescimento de adeptos que não frequentavam terreiros, que mesmo sem saber das origens desta Orisa.. pediam a ela,

.A mistura de sincretismos.- hora necessária a sobrevivência -.ampliou suas fronteiras fica evidente nos jornais, Edson Carneiro por anos tentou desfazer os “mau” entendidos… mas janaína, iara, sereia encantada, nossa senhora dos navegantes, sant´ana e entre outras falada pela multidão foi “personificada” na figura de yemoja.

A festa de Yemoja, virou festa popular , e até chamada muitas vezes de folclóricas pelos jornais. Yemoja deixou jornalistas perdidos,eles não sabiam se “cutucavam ” o povo de Orisa, ou se afagavam a multidão das ruas, e o pior que pude encontrar é a falta de tato a falar de afro-descendentes, por vezes descuido que mostrou racismo.

Muitas reportagens antigas tem visões criticas sobre as festas e um sentimento latente dos jornalistas de não sabem se eles tem que odiar ou amar a Orisa.

Yemoja é um fenômeno que venceu a barreira do preconceito como pode, e pelo visto aceitou o caminho de ser a Orisa mais cultuada do Brasil. até por aqueles que não estão dentro dos terreiros, barracões etc.. e não fazem parte de um àse!

O yemojaismo existiu e existe!

Em 1979 um numero surpreendente de 700 mil pessoas registradas na Praia Grande- São Paulo – nesta mesma época, nem os o ano novo de Copacabana era tão popular no Brasil.

Beijos! Renata Barcelos ( Yemojagbemi Arike)

Por um mundo mais yemojaizado com consciência também africana da orisa.

Conteúdo protegido