Como Yemoja passou do rio para o mar?

Como Yemoja passou do rio para o mar?

Como Yemoja passou do rio para o mar? 707 915 Renata Barcelos - Yemojagbemi Omitanmole Arike

Minha conclusão final sobre esse tema:

Yemoja passou para o mar nas Américas, por conta da tradução de seu nome yeye omo eja, a mãe dos filhos peixes.
Alto fluxo de pesca nos mares do ocidente fez com que pessoas cultuassem Yemoja para trazer uma boa pesca, o culto se expandiu, festas se tornaram grandes, logo foi difícil parar de associa-la com o mar.

Outro ponto que temos que levar em conta é que este fenômeno de Yemoja no mar, não se deu apenas no Brasil, e sim na América, para chegar em um consenso sobre o tema, é preciso que existam fatores em comum . O fator comum continua sendo a tradução do nome de Yemoja.

Esse tema foi amplamente discutido, e a relação do nome de Yemoja foi levantada por Luiz L Marins, que me perguntou se Yemoja é mãe dos filhos peixes quem seria a mãe dos peixes do mar?

De fato ele pegou o ponto mais sensível e a conclusão foi mesmo fortalecendo em mim.

De tudo que se sabe até aqui o culto de Yemoja, não começou em área litorânea, e sim no interior de área ioruba sem acesso ao mar, muito possivelmente talvez nem conhecessem o mar , logo que os adeptos da mãe dos peixes, poderiam nem mesmo saber que o oceano esta lotado deles. quando então muitos tiveram contato com a agua grande do mar com tantos peixes na diáspora , começa me parecer coerente que associem Yemoja também ao mar.

No campo yoruba, ainda que em seu interior ainda assim se soubessem da existência do mar*, o que estava presente na sua vida como elemento essencial é agua doce o acesso ao rio, que traz fonte de hidratação, preparo para comidas, banhos, higiene etc., para o interior de área yoruba o rio é fonte de sobrevivência.

* preciso aqui registrar que estamos falando de um tempo antigo onde, estradas, barcos etc era um tanto quanto escasso, também não havia televisão, internet, fotos em jornais ou satélite. Para conhecer o mar precisaria ir até ele ou ouvir o que contavam. Também incluo que mesmo hoje em dia  na maior parte dos países do mundo muito possivelmente não são todas as pessoas que já estiveram no mar.

Outro ponto que sempre colocam quando falamos de Yemoja no mar.. é – os rios são muito poluídos por isso levaram Yemoja para o mar..

Apenas dizer que nosso mar é muito grande, ou que rios são poluídos não levaria apenas Yemoja para o mar , mas também Osun e Osun continuou como uma deidade ligada as aguas doces.

odò o rio de yemoja chegou aqui :

Seja em cantigas de candomblé, batuque,  santeira e outros cultos a Orisa que permaneceram com presença do idioma Yoruba, é possível constatar que dizem odò para Yemoja, ou seja Rio. a palavra para mar em yoruba é Okun.  No brasil uma das saudações mais populares para Yemoja é odo iya, mais uma vez a palavra odo  = rio.

Edson Carneiro em 1966 escreve para o Jornal do Comercio do Rio de janeiro:  Iemanjá é falsa rainha. Não é do mar é do Rio.  Vendo ele o crescimento de devotos indo cultuar Yemoja no mar, tenta reverter a ideia e hoje sabemos ele fracassou, Yemoja se tornou no Brasil e em outras partes da América a Orisa que é cultuada no mar.

Um outro aspecto curioso

embora a palavra Okun seja muito mais usada pelos Yoruba para se referir ao mar, alguns dizem que Okun é de fato uma grande extensão de agua, e não necessariamente a agua salgada, um rio que se perde a vista da borda poderia ser chamado de Okun, enquanto odò é uma extensão de agua que é fluida, osa um corpo de agua represado limitado.

Nós no ocidente:

um rio de agua salgada, não chamamos de mar, e sim de rio mesmo.. é um rio que tem agua salgada , assim como quando olhamos um rio grande largo  dizemos: nossa parece o mar! é um rio tão grande que parece o mar. Não é em si o teor da agua se é doce ou salgada, mas o que se apresenta quando olhamos. Uma lagoa seja de agua doce ou salgada.. dizemos é uma lagoa.

Outro exemplo disso é que o Mar da Prata no Uruguai é de fato um rio, e   a praia do Rio Vermelho em Salvador é de fato um mar.

O rio ògùn – rio Yemoja sempre foi de muita importância para os Yoruba, tão importante que possui hoje um reservatório no estado de Oyo para ser feito uma hidroelétrica dele – ou seja  possui um alto volume de água, contudo se referem a ele como odò ògùn .  Desde tempos antigos também era muito usado para a navegação para se ir do norte até a zona da costa litorânea, embora o rio ogun não desemboque diretamente no mar, mas sim em uma lagoa de nome Lekki no Estado de Lagos – Nigéria, era o acesso mais fácil para que se chegasse na costa litorânea yoruba.

Outro aspecto curioso é que o conhecimento de algumas famílias de yemoja em área yoruba podem chamar o seu local de culto de okere okun, a grande extensão de agua que todos precisam percorrer ( os rios) e louvar Yemoja até que agua se torne grande – o mar, outro significado é que é o corpo de agua do rei Okere, cujo ele não pode ver.

“mas é preciso concluir que a a maternidade de yemoja,  quando encontrou seus filhos , peixes do mar ela não quis mais deixa-los orfãos. ” –  brincadeiras a parte,  Yemoja nunca fez uma rebelião contra os festejos  em mar nas Américas, razão que todo ano as pessoas que louvavam ela ali eram agraciados com suas bênçãos e voltavam o ano seguinte para cultua-la.. etc —>>>> Importante sabermos a origem do culto de yemoja em rios, e não justificarmos algo que se pratica na América como sendo também uma pratica yoruba.

ao mesmo ponto que é importante conhecer a natureza mais profunda de um orisa é também avaliar que um yoruba nativo não iria reduzir um orisa que ganha muita popularidade. A família de um orisa que ve seu orisa ganhar força fica feliz com essa força e ajuda ainda mais a expandir seu culto e isso jamais irá tirar a origem de Yemoja do rio.

Yemojagbemi Arike – Renata Barcelos

Conteúdo protegido