Kojoda

[CPMV_CALENDAR view=”6″]

Calendário Tradicional Yoruba – Pela Asa Orisa Alaafin Oyo
Este tem uma semana 4 dias, 28 – dias mês , 13 meses em um ano e 2 estações principais, que são sub- divididas .
O ano Yoruba não atravessa para o ano seguinte em um dia de ou mês fixo.
É de salientar que o calendário tradicional ainda continua a ser uma referência ate ao dia de hoje para os caçadores, fazendeiros , povo tradicional e comunidade. O último dia do mês (28 ), conhecido como OJO OLOYIN é muito importante na sociedade Yorubá . Durante este período os agricultores e caçadores  voltam para a cidade para as suas famílias , bem como a comunidade se reune na cidade e no palácio.
• 4 dias = 1 semana ( calendário tradicional )
• 7 semanas = 28 dias = 1 mês
• 91 semanas = 1 ano
• 13 meses = 1 ano
Para entender a idéia pré-colonial  do sistema de calendário tradicional Yorùbá, é pertinente chegar ao período aborígeno Yorùbá e ao mito da criação do mundo, sendo a base do calendário divinatório primordial é o primeiro pilar da estrutura social Yorùbá.    É baseado no número fixo (4),  conceito este que está relacionado com as crenças tradicionais sobre o universo sendo este redonda e sua criação começou com quatro cantos.
Esta é a base da semana Yorùbá de 4 dias, chamado Oríta- cruzamento.
A semana de 4 dias marca as divindades  na cosmologia Yorùbá e no ciclo do mercado. O calendário tem uma matriz
divinatória muito simples, que se aproxima do passado Yorùbá, alcançando o period de Òrìsà Nlá, passando pelo status sagrado espiritual cosmológico.
No início, não havia dias de semana e Elédùmarè decidiu dar o Òrìsà 4 dia semana.
Dia 1 é dedicado a Ògún  Òsè Ògún
Dia 2 é dedicado a Sàngó  Òsè Jàkúta
Dia 3 é dedicado a Obàtálá  Òsè Obàtálá
Dia 4 é dedicado ao outros Òrìsà  Òsè Ayó (Joy)
Verso  odù Òfún – Oosa Dídá /Eèrìndínlógún)
Antigamente quando Olodumare enviou os Orisas para a terra
nenhum deles tinha o seu próprio dia
eles decidiram brigar para escolher o seu próprio dia
Olodumare liberou 4 dias para eles
Ogun decidiu ser o primeiro a ter um dia
Ogun virou o mundo de cabeça para baixo
os outros imploraram a Ogun para trazer a paz de volta
Ogun solicitou em troca o seu próprio dia
todos Orisas decidiram dar a Ogun
O 1 dia
No dia seguinte,
Os Orisas começaram a brigar para ter seu próprio dia
Sango foi aconselhado a fazer oferenda com 200 pedras
Sango fez
Sango começou a enviar pedras para os outros Orisas
depois de terminar de comer , ele começou a lutar
e todos Orisa fugiram
eles decidiram dar Sango
o 2 dia chamado IJA Okuta / jakuta
no 3º dia
todos os Orisas começaram a brigar novamente
Òrìsà NLA foi aquele que recebeu o pano branco de Olodumare
para dar luz ao mundo
Òrìsà NLA tirou o pano do céu
tudo ficou escuro
todos os Orisas imploraram a Òrìsà NLA
para colocar o pano de volta
o 3º dia foi dado a Òrìsà NLA
chamado Ojo Ose OBA- OTA- ALA ( Obatalá )
no 4º dia
todos os Orisas se reúniram
para escolher o dia restante
Orunmila consultou o seu awo
Orunmila foi aconselhado a preparar
comida para dar a todos os Orisas
todos os Orisas comeram a comida que
Orunmila preparou para eles
Todos ficaram satisfeitos
eles começaram a beber
até escurecer
preparavam se para sair
quando Orunmila os  chamou de volta
Perguntou-lhes , quem iria possuír o dia restante
todos os Orisas responderam ele
depois de os ter satisfeito em sua casa
não devemos lutar mais pelo dia restante
o dia foi dado a Orunmila
como o ( OJO / AYO ) Dia do prazer
By Late Baba Sangodina Agbolori, Oyo
Conteúdo protegido