O ORISA ACIMA DE QUALQUER SER HUMANO.

O ORISA ACIMA DE QUALQUER SER HUMANO.

O ORISA ACIMA DE QUALQUER SER HUMANO. 397 706 Renata Barcelos - Yemojagbemi Omitanmole Arike

Uma das coisas mais sensíveis que vi nos locais que estive na Nigéria foi ver os sacerdotes de Orisa se portarem de maneira a serem sempre um elo para falar com Orisa mas nunca mais importantes que eles.

A primeira coisa que me chamou atenção é a incansável confirmação de ritos através de obi/orogbo, beira quase a um medo de que não tenha nenhuma vontade pessoal sendo feita e sim apenas a vontade do Orisa.

Segunda coisa.. Quando orisa está na terra ele não vai se curvar para ninguém – salvo uma vez me lembro de ter visto em vídeo se curvarem para o rei Alaafin Oyo (1 vez).

Andei com Yemoja quilômetros.. passamos por varias casas de Orisa, ocasião essa que os Olorisa das casas também faziam reverências para Yemoja, os sacerdotes pediam a ela benções, ela rezava. Lembro da casa da arugba Osun, quando chegamos ela não estava imediatamente ali, e foram chamá-la para que Yemoja também a abençoasse, arugba acabou até por sentar no colo de Yemoja. ������

Terceira coisa.. Nos cultos que pude conhecer (sem generalizar) quem passa por processo de iniciação é impedido nos muitos dias de recolhimento… de colocar a cabeça no chão para prestar reverência a quem quer que seja. Só coloca a cabeça no chão para dormir. Acontece algo lindo nesta ocasião: sacerdotes e devotos de orisa se curvam para o iniciado e rendem o tempo todo reverências para o iyawo que carrega o orisa.

Então você está lá com os sacerdotes que tem as linhagens mais antigas de orisa, que resguardam o culto do orisa por centenas de anos, e PAH!!!! simplesmente quando você está em confinamento iniciático”eles quem batem cabeça” (para todo mundo entender) para você.. ele”batem cabeça” se prostram no chão para seu orisa. Sacerdotes e devotos de diversos orisa podem passar pela casa durante o confinamento e vão até o iyawo prestar reverências.. fazer cumprimentos, quase sempre se prostrando no chão, e também para o”igba” do local.

Te falar uma coisa: chega a arrepiar. Isso quando não raro começam a cantar uma canção, entoam Oriki, fazem uma série de rezas e você ali parada e só pode dizer Àse! Àse! obrigada obrigada.. e desejar o mesmo.

Para entender o meu sentimento – tipo assim oh: você quer conhecer o seu time de futebol favorito.. mas quando encontra jogador por jogador.. ao invés de você sair correndo para abraçar.. são eles que vem abraçar você, e te prestam homenagem e sentam lado a lado Foi esse o sentimento.

Dos sacerdotes dos Orisa que tive contato.. eles sentam contigo lado a lado, comem com você, e depois se está para conhecer um local se deitam a prestar homenagem junto.

Na foto abaixo estávamos a conhecer um dos templos de Yemoja de Iseyin, então juntas euzinha a olori Yemoja de Oyo e a sacerdotisa de Yemoja de Iseyin peláramos no chão para Yika… rotaciona o corpo para os lados.. iforibale apoiamos a cabeça no chão e também..

Curioso também: não vi (eu não vi) em nenhum lugar baterem palmas para orisa, nem em forma livre nem em toques de 3 e 7.

Conteúdo protegido