OSE DUDU – SABÃO DA COSTA

OSE DUDU – SABÃO DA COSTA

OSE DUDU – SABÃO DA COSTA 365 441 Renata Barcelos - Yemojagbemi Omitanmole Arike

Curiosidade: O Ose Dudu, entrou no inventário da Unesco como patrimônio cultural e intangível de Oyo.

Das muitas coisas que todos devem fazer ao visitar a terra dos Orisa, conhecer o processo de fabricação do Ose Dudu é certamente uma delas.

Pois bem foi quase sem querer que neste dia casou de irmos ver a fabricação do Ose Dudu, o céu anunciava tempestade, e vem cá estávamos em Oyo na terra de Sango, ficar em local aberto no meio da chuva,”malucs” se você não tem medo eu tenho! E não é tabu nenhum mesmo para devotos de sango estar na chuva, a não ser que alguém tenha uma interdição por recomendação oracular. Mas nem aqui nem la.. ver raio caindo do céu é sensato ficar exposto… sinceramente já não me lembro quando a chuva realmente resolveu cair esse dia… seguindo.

Chegamos então a um local um pouquinho afastado da cidade, onde já se podia ver áreas mais verdes e que não eram próximas exclusivamente de rios, 4 famílias hoje são as que se destacam na produção artesanal do sabão em Oyo, e fomos ver cada uma delas, o processo que inclui varias etapas de muitas horas são iguais em todas, o que difere é a quantidade produzida e numero de pessoas envolvidas. Como quase tudo em Oyo, a tradição é familiar, passada de geração a geração até os dias de hoje e pouca coisa parece ter mudado dos tempos antigos, outra vez e como muitos lugares.. foi como ser transportada para séculos atrás.

Ao redor por vários lados vasos extraindo óleos, tambores e panelas no fogo a lenha com diferentes etapas do processo, e foi impossível não me lembrar das inúmeras vezes que fui até uma lojinha no Brasil pedir o”sabão da costa”, ou estar dentro do”terreiro” e alguém perguntar” cadê o sabão? E foi uma conexão pensar imediatamente: usamos isso lá (Brasil)pq fazem esse sabão desta maneira há centenas de anos aqui! como se a historia da escravização passasse na minha cabeça em milésimos de segundos, até chegar nas praticas religiosas de hoje no Brasil, até a lojinha perto de casa em uma pequena cidade de São Paulo que tem nome”loja de Umbanda” e que vende ose Dudu, sabão da costa… é de pirar a cabeça,.. da um tilt”“bug” por uns segundos.

Sei que vai parecer papo de gente louca, mas explicar alguns sentimentos desta viagem envolve, reações cerebrais, químicas e extra sensoriais.. muitas vezes tive sensação que o espaço tempo foi mudado, e finalmente pude entender a Teoria da Relatividade de Albert Einstein:” O tempo é relativo e não pode ser medido exatamente do mesmo modo e por toda a parte” (Albert Einstein); ou talvez capaz de fundar um novo conceito onde quando uma memoria anterior funde com a origem em um local que parece menos acelerado de onde você normalmente vive, você tem a capacidade sensorial de vivenciar a energia local remontando uma historia passada e reviver séculos atrás… com esses efeitos de ondas cerebrais é a melhor projeto de reconstrução de um mecanismo de voltar no tempo/passado entendeu ai?

Este Ose Dudu de fabricação em Oyo não fica exatamente preto na hora do processo de fabricação.. mas vai ganhando a cor depois, ele é extremamente natural sem nenhum aditivo químico. E digo é o melhor medicina que usei na vida, até irritação antiga da minha pele passou.

O Ose é vendido ali para quem queira, também vendido no mercado local, e não raro é ver os vendedores ambulantes que passam nas casas e circulam as ruas, com pilha de sabão na cabeça, com cerca de 3 Reais (menos de 1 Dolar) você compra uma quantidade bastante significativa capaz de fazer uma pequena montanha segurando em duas mãos.

Mesmo que hoje outros tipos de sabão tenham adentrado o mercado Yoruba, e de Oyo, no processo Orisa de iniciação são usados o sabão tradicional o Ose Dudu, e parece que ainda é a preferência diária de muitas famílias, talvez pela eficiência nutritiva, anti alérgica e dos benefícios trazidos por ser totalmente natural.

Conteúdo protegido